domingo, 6 de dezembro de 2009

Nicarágua: primeira-dama à la Harry Poter completa o que o marido chavista não consegue fazer

Na Nicarágua “chavista” está em fase de teste um novo estilo de governo. O presidente Daniel Ortega, velho guerrilheiro, cedeu largos espaços da administração à primeira-dama, Rosario Murillo, noticiou a “Folha de S.Paulo”.

Ex-guerrilheira e presa política nos anos 1970, autora de poesias eróticas, vegetariana e adepta do guru indiano Sai Baba, Murillo, 58, administra a área social do governo e é porta-voz da Presidência.

Seu estilo [foto] poderia ser comparado ao de uma bruxa Nova Era.

Os discursos de Murillo estão trufados de expressões até hilárias, apimentadas com referências esquerdistas. Poucas vezes pronuncia frases inteiras.
Veste uma roupa de tipo hippy enfeitada com múltiplos colares, brincos e pulseiras à la guru indiano, além de óculos gênero John Lennon.

“É ela quem governa o país, apesar de não ter sido eleita pelo voto popular”, diz a dissidente Sofia Montenegro.

A primeira-dama tal vez acha estar mais de acordo com os novos estilos impostos pela religião verde. Mas, astutamente, também faz gestos que seduzem o voto católico.

Assim, o casal Ortega casou oficialmente na Igreja Católica poucos meses da eleição ganha pelo marido.

Em matéria moral e familiar, o estranho casal fez aliança com o conservadorismo católico e apoiou uma lei contra o aborto.

“O governo da Nicarágua é como uma casa, em que pai e mãe dividem as funções”, diz o ministro da Cultura Luis Morales.

A “bruxinha Nova Era” completa o que o ex-guerrilheiro marxista e “chavista” não consegue fazer...

Gostaria receber no meu email, gratuitamente, atualizações de 'O que está acontecendo na América Latina'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.