segunda-feira, 25 de maio de 2009

Lulismo comemora simplificações do acordo ortográfico, mas portugueses rejeitam


A maioria dos portugueses está contra a reforma ortográfica, informou a BBC Brasil. Eles dizem que não vão utilizar as novas normas que depreciam a língua de Camões.

Sondagem realizada pela empresa Aximage, sob encomenda do jornal “Correio da Manhã”, mostrou que 57,3% a população lusitana é contra as novas regras e apenas 30,1% a favor.

A reação mais forte provém dos jovens de entre 18 e 29 anos, que representam a esperança do futuro da cultura portuguesa: 65% deles não quer mudar a forma de escrever. Os mais favoráveis estão na faixa acima de 60: só 49,2% têm posição contrária ao acordo. Eles pertencem a uma geração intoxicada pelo mito da “modernidade” hoje posto de lado.

Circulam na Internet três abaixo-assinados contra o amesquinhante acordo. O principal é liderado por figuras conhecidas e tinha coletado 101.784 assinaturas até o 12 de março. Um outro foi apoiado por 12.067 portugueses, e um terceiro recebeu 6.268 assinaturas.

Apenas três jornais lusitanos utilizam as novas normas. Mas só um tem circulação nacional, e ainda por cima é esportivo.


No Brasil, titulares anfibológicos em grandes jornais nacionais suscitam riso, causam confusão e diminuem o já exíguo número de leitores da mídia impressa.

Mas o lulismo rejubila com este rebaixamento da língua.

Gostaria receber no meu email, gratuitamente, atualizações de 'O que está acontecendo na América Latina?'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.