terça-feira, 31 de julho de 2007

Narcotráfico pode migrar da Colômbia para o Brasil


A luta contra o narcotráfico está exibindo resultados animadores na Colômbia. No fim do ano, naquele país não haverá mais plantações significativas de coca, segundo fontes oficiais de Washington. A Colômbia produzia 80% da cocaína da região. A guerrilha marxista fez esforços desesperados para impedir a erradicação dos cultivos. Porém, acuada, está mudando as plantações para países vizinhos. Este último fato é alarmante para o Brasil.
Em março, o exército colombiano destruiu uma refinaria de cocaína a 120 quilômetros da fronteira brasileira, à margem do rio Vaupés. Ela podia produzir cerca de uma tonelada de pó básico por semana. A droga era trocada por armas e munições levadas em vôos clandestinos do Brasil. Também os guerrilheiros colombianos pagaram com droga 50 fardas completas do Exército brasileiro, além de armas de fabricação russa, mas com marcas do exército líbio.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

Privatização de terras corrige danos causados pela Reforma Agrária

No Peru, o retorno das terras às mãos de proprietários rurais multiplicou explosivamente a safra da cana, informou a revista inglesa "The Economist". Nos anos 60 a indústria açucareira peruana foi uma das mais eficientes. Porém foi quebrada pela Reforma Agrária do governo militar pró-soviético. Agora o governo está vendendo terras nacionalizadas para produtores de etanol. Esta produção apresenta um promissor futuro e merece encorajamento.

“Pacifistas” recusam-se a ver os presos anticastristas

Uma onda de protestos pseudo-pacifistas-humanitários quer fechar a prisão americana de Guantánamo (Cuba), reservada para terroristas. Na liderança dessa agitação figura a norte-americana Cindy Sheehan, apelidada “mãe da paz”. O regime comunista favoreceu uma manifestação que ela promoveu diante da referida prisão. Na ocasião, o grupo de mulheres de presos políticos cubanos denominadas Damas de Blanco convidou-a para examinar os cárceres castristas, em especial a prisão provincial de Guantánamo, a fim de conhecer a desumana situação de anticomunistas presos por Fidel Castro. A pacifista encerrou então sua manifestação para não prejudicar o regime comunista de Castro.

Profanações de catedrais na Colômbia e no México

Movimento social pró-Oaxaca invade catedral do México, insultando cardeal e clero

Um fotógrafo, que foi preso, levou uma modelo nua para fotos, e assim profanar a catedral de Neiva (Colômbia). Membros de "movimentos sociais" irromperam na catedral da Cidade do México para insultar o Arcebispo, Cardeal Norberto Rivera Carrera, em plena Missa dominical. Simpatizantes do fracassado candidato populista Andrés Manuel López Obrador, hoje rebelado contra o governo eleito, praticaram várias dessas invasões. A Revolução Cultural e a socialista utilizam métodos análogos e convergentes, visando enxovalhar a Igreja Católica.

Atentados contra Nossa Senhora de Fátima na Paraíba

Mãos sacrílegas fizeram explodir um nicho de Nossa Senhora de Fátima, com bombas caseiras, em João Pessoa (PB). A detonação arrebentou a redoma de vidro que a protegia, arrancou-lhe as mãos, danificou a cabeça e destruiu totalmente as imagens de dois dos pastorzinhos. Dias depois, a igreja de Nossa Senhora de Fátima, no município de Patos (no sertão da Paraíba) foi também invadida por profanadores, os quais quebraram as imagens do Cristo Crucificado, do Sagrado Coração de Jesus, da Mãe Rainha, de Nossa Senhora de Fátima e de dois anjos. O inferno parece pressentir que estão contados seus dias de livre ação contra a Igreja, e por isso cresce em furor contra Aquela que o vencerá: a Santíssima Virgem.

Vendas de armas russas batem recorde e preocupam


A Rússia atualmente é a maior fornecedora mundial de armas — revelou relatório anual do Congresso americano. Ela vendeu U$30,2 bilhões em 2005 e superou os EUA pela primeira vez, após a queda do Muro de Berlim. Preocupam as vendas para China (aviões-tanque), Irã (mísseis antiaéreos, jatos e tanques) e governos esquerdistas latino-americanos. A Venezuela se armou como se previsse um confronto próximo com algum vizinho: 24 caças Su-30, 35 helicópteros e 100 mil fuzis AK-103. Ademais, adquirirá de 10 a 15 submarinos, 138 navios, radares, complexos antiaéreos e fábricas bélicas.

Brasil poderia tornar-se o maior fornecedor de combustíveis

Nosso País pode tirar a liderança da Arábia Saudita produzindo combustíveis vegetais, noticiou o “New York Times”. Se isso acontecesse, a ofensiva muçulmana sofreria tremendo golpe e poderia arrefecer muito, pois ela é financiada com dinheiro do petróleo. Há portanto um interesse de índole religiosa, vital para a Civilização Cristã e para o Ocidente, em que o Brasil e as nações sul-americanas desenvolvam a produção de combustíveis vegetais. Entretanto, correntes de esquerda, sempre aliadas dos inimigos do cristianismo, combatem tal projeto, assim como sabotam o agronegócio.

Fundamentalismo islâmico e comuno-progressismo

O presidente do Irã e Hugo Chávez

“O Islã é o combustível da revolução”, disse o presidente esquerdista venezuelano Hugo Chávez ao presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad, quando visitavam um campo petrolífero na Venezuela. E acrescentou em referência aos EUA e à Hierarquia eclesiástica: "Cristãos autênticos também enfrentaram o Império Romano e a Hierarquia religiosa. [...] O cristianismo é fundamentalmente revolucionário, assim como o Islã". A confissão de que existe uma concordância entre o Islã fundamentalista e terrorista, de um lado, e a Teologia da Libertação e o esquerdismo latino-americano de outro lado, deixou constrangido até o presidente extremista do Irã.

Perseguição comunista segue inflexível em Cuba

A perseguição comunista ao catolicismo não amainou em Cuba, apesar da política de distensão da Santa Sé com o regime castrista. Recentemente o bispo de Pinar del Río, Mons. José Siro González Bacallao, revelou que a Biblioteca Diocesana foi expulsa do seu local, e que agora, mais de um ano depois “daquele infame e inaudito despejo, [...] os livros estão dispersos em várias casas de fiéis”. O governo confiscou primeiro a escola católica que acolhia a biblioteca, depois abriu buracos no teto para a água filtrar e estragar os livros. Por fim, maldosamente, sob pretexto de reparos, obrigou-a a abandonar o local, segundo declarou o prelado à revista cubana “Vitral”.

Frente comum de ditaduras marxistas e islâmicas


Apresentando-se como líder da América Latina, o presidente venezuelano Hugo Chávez foi recebido calorosamente pelo presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad. Chávez insistiu no realejo de bravatas anti-americanas, também alardeadas pela ditadura dos aiatolás, e defendeu o programa nuclear do Irã. Chávez chegou vindo da Bielorússia, onde homenageara a última ditadura sobrevivente da ex-URSS, e seguiu depois para onde impera outra ditadura marxista: o Vietnã. Configura-se assim uma frente comum de ditaduras marxistas e islâmicas, articulada por um regime populista latino-americano.

Chávez e fornecimento de armas à esquerda latino-americana


Entre suas últimas provocações, o presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou a compra de 50 aviões supersônicos russos Sukhoi-30 e uma fábrica de fuzis AK-103. O Sukhoi-30, que caiu até em show aéreo de Paris, não preocupa tanto quanto a fábrica, pois ela terá uma capacidade de produção que supera as necessidades do país. O Departamento de Estado americano teme que Chávez pretenda formar na Venezuela milícias populares armadas, além de fornecer fuzis para movimentos guerrilheiros da região, como as FARC da Colômbia e o recém-ativado Sendero Luminoso do Peru.

Bolívia: invasão até do terreno de santuário

Nossa Senhora de Copacabana

Militantes do MAS, partido do presidente Evo Morales, invadiram as terras do santuário da padroeira da Bolívia, Nossa Senhora de Copacabana. As terras serviam para sustento do santuário. Alegaram tratar-se de “terras improdutivas da Igreja” em mãos de “padres latifundiários”. Os métodos usados foram os mesmos empregados pelo MST. Os invasores cortaram as árvores e lotearam o terreno. A Igreja e a piedade católica foram vulneradas no que têm de mais sensível naquele país. Mas os bispos bolivianos que apóiam Evo Morales não cogitam oferecer resistência proporcionada ao esbulho.

Instituto mede “escravidão” do contribuinte brasileiro


Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a “escravidão do contribuinte” cria a seguinte situação absurda: na prática, considerando o período de um ano, é como se a classe média brasileira trabalhasse até 26 de maio só para pagar impostos. E o que ela ganhar dessa data até 15 de setembro é destinado a custear saúde, educação, previdência privada, segurança e pedágio, serviços que, em tese, o Estado diz fornecer. Só daí para a frente é que “o contribuinte vai começar a trabalhar para a família comer, vestir, morar, comprar bens, gozar férias e poupar”, disse Gilberto Luiz do Amaral, presidente do IBPT. Não é possível aumentar os dias do ano. Apesar disso, a voracidade do socialismo tributário não pára de crescer no País.

Não obstante investimentos, a Venezuela cai aos pedaços

Momento em que desaba o importante viaduto que comunica Caracas a La Guaira
Caracas ficou quase isolada, pelo abandono sistemático da infra-estrutura, mas o presidente Chávez promete financiar megalomaníacos projetos, como um gasoduto do Caribe até a Patagônia, atravessando a Amazônia. Também prometeu comprar grandes quantidades de armas brasileiras; mas, quando o Brasil tentou formalizar a venda, Chávez não deu resposta. O dinheiro do petróleo é na prática engolido pelo colossal aparelho estatal, politizado e inoperante. Na Venezuela, Chávez é apelidado "Don Regalón" (O Senhor Presenteador), e suas promessas a governos amigos soam desagradavelmente aos ouvidos dos venezuelanos que vêem seu País ir à breca. No carnaval ele financiou uma escola de samba brasileira, que apresentou um enredo esquerdista. Para a Copa América, Chávez consertou a ponta para jornalistas verem.

Produção petrolífera venezuelana ameaçada


O presidente venezuelano Hugo Chávez aparelhou com simpatizantes a estatal Petróleos de Venezuela — PDVSA. Desde então, a produção vem caindo. Quase todo dia alguma instalação pega fogo. Os investimentos são parcos e os equipamentos envelhecem. As petroleiras privadas garantem a estabilidade da produção, mas Chávez pretende estatizá-las. Assim, ele matará a galinha dos ovos de ouro de sua revolução e vai empobrecer o país. Mas isso parece não o preocupar, à medida que seu país se assemelhar ao miserabilismo cubano.

Mais uma fuga do “paraíso” comunista cubano

Coral Nacional de Cuba
A viagem acabou mal para Fidel Castro. E muito bem para os artistas. Os 38 integrantes do Coral Nacional de Cuba realizavam recente tournée de apresentações no Canadá. Quando os agentes castristas cortaram as diárias do hotel, para tentar impedir que os cantores fugissem, mais de 20 deles abandonaram o grupo e pediram asilo político. Preferiram correr qualquer risco antes que voltar ao inferno da ilha-prisão de Fidel.

Fidel Castro recorre à Igreja para manter-se no poder

Enquanto os prisioneiros políticos cubanos sofrem espantosas torturas físicas e morais, D. Tarcísio Bertone, Cardeal de Gênova, causou consternação declarando ao "La Stampa" de Turim, após visitar a ilha-prisão, que em Cuba "a abertura já é total". Elogiou também os "bons exemplos" (sic) do chefe marxista, que ofereceu ajuda à Louisiana e ao Paquistão. O Cardeal ouviu o desejo de Fidel Castro de uma visita de S.S. Bento XVI à ilha. Castro pediu a colaboração da Igreja contra o aborto, que lhe tira mão-de-obra, mas de fato tem raízes no turismo sexual que o próprio governo comunista organiza.

Dias depois, o bispo de Holguín, D. Héctor Luis Peña Gómez, denunciou as renovadas violências castristas contra os paroquianos. A polícia confiscou um lote de Bíblias, sob pretexto de "subversivas e perigosas". Entretanto, a política vaticana de aproximação com os governos marxistas continua como se nada tivesse acontecido.

domingo, 29 de julho de 2007

"Médicos” cubanos atuam sem habilitação no Brasil

O juiz federal Marcelo Albernaz concedeu liminar ao Conselho Regional de Medicina (CRM) de Tocantins, que solicitou fossem impedidos de atuar 62 “médicos” cubanos sem títulos profissionais. O juiz comparou suas atividades ao curandeirismo. Fidel Castro mandou um avião para buscá-los urgentemente; talvez o processo desvendasse fatos comprometedores... Por incrível que pareça, tais “médicos” obtiveram a suspensão dessa liminar e foram re-contratados pelo governo estadual, mas já não estavam mais no Brasil. Há muitos “médicos” cubanos sem título exercendo a profissão no País, além de 600 estudantes de medicina brasileiros em Cuba enviados por organizações de esquerda, como o MST e o PC do B.

Índios prejudicados pela reserva indígena

Lula com o Cacique Raoni
Roraima decretou uma semana de luto oficial e vive graves episódios de tensão e violência, por causa da homologação da reserva indígena Raposa Serra do Sol (1,76 milhão de hectares, maior que Sergipe). A homologação elimina do mapa pelo menos três cidades e 150 mil hectares de plantações de arroz cultivados por fazendeiros e índios que se integraram na civilização. Em sinal de luto, muitos arrozeiros andam vestidos de preto pelas ruas. A maioria dos indígenas não quer voltar ao primitivismo e desejam continuar produzindo, enquanto a minoria dentre eles, insuflada pela esquerda católica, comemora a desastrosa decisão de Brasília. O presidente Lula reafirmou que irá demarcar mais 46 reservas do gênero.

FARC à brasileira: possibilidade nos assentamentos

Dois ex-líderes e 15 membros do MST — todos eles foragidos — foram indiciados por homicídio, tortura, cárcere privado ou danos materiais no caso do assassinato do soldado PM Luiz Pereira da Silva, em Quipapá (PE). Também foram indiciados por tortura e cárcere privado do sargento PM Cícero Jacinto da Silva. Segundo o delegado Antonio Carlos Câmara, que dirigiu o inquérito, é “imprescindível a punição exemplar para os imputados, sob pena de que, em um futuro próximo, assentamentos como estes se tornem verdadeiras espécies de FARC [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia] à brasileira”.

Presidente argentino demite bispo militar católico

D. Antonio Juan Baseotto
“Se alguém escandalizar um destes pequeninos que crêem em Mim, seria melhor que lhe colocassem no pescoço uma pedra de moinho e o atirassem ao mar” (Mc 9, 42). Estas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo irritaram o governo da Argentina. O bispo militar D. Antonio Juan Baseotto reproduziu-as numa carta dirigida ao ministro da Saúde, Ginés Mario González García, porque este promove o aborto e distribui preservativos entre adolescentes. O presidente Kirchner destituiu o Prelado da capelania militar, fato que não foi inicialmente aceito pelo Vaticano. Depois disso o governo argentino ensaiou um recuo. O Vaticano acabou tirando o bispo da sua função.

Boicote contra empresa privada fracassa na Argentina

O presidente argentino Kirchner convocou um boicote contra a empresa privada Shell. Os piqueteros, co-irmãos dos sem-terra, bloquearam os postos de gasolina. A esquerda católica brasileira aplaudiu o ato como exemplo para o país. A mídia anunciou que a maioria dos argentinos apoiava a iniciativa de seu presidente. Mas depois todos se calaram. O que houve?
Em Buenos Aires, o líder dos bloqueios, Jorge Ceballos, em declaração ao diário “La Nación”, reconheceu: “Erramos; nossa ação acabou sendo negativa para o governo”. Os jornais platinos ficaram repletos de protestos anti-piqueteros e anti-Kirchner. Mas, sobre tal reação, a mídia brasileira nada informou.

Abin: “estreitar laços” com polícia secreta cubana

Mauro Marcelo de Lima e Silva (com Lula), diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), passou sete dias em Havana. A viagem teve em vista “estreitar laços” com a polícia secreta de Fidel Castro, a qual foi instituída pela União Soviética e apóia grupos terroristas em vários países. Lima e Silva quer “tornar mais freqüente a permuta de informações com a Abin”. O fato causou espanto na opinião pública, que vê com preocupação o governo brasileiro estreitar suas relações com o totalitarismo castrista. Parlamentares suspeitam da existência de acordos secretos com Cuba, tendo em vista o contínuo vai-e-vem de membros do governo petista à ilha-prisão.

Crime aumenta após Estatuto do Desarmamento

Desde que entrou em vigor no País o Estatuto do Desarmamento, na cidade do Rio de Janeiro o homicídio cresceu 4,2%, o latrocínio 40%, roubos a pedestres 30,5%, roubos e furtos a ônibus 85%. Tal acréscimo ocorreu entre os meses de agosto de 2003 e de 2004. “Estes números representam o contrário do que a rede Globo vem alardeando, e demonstram um total fracasso”, escreveu Gilberto Alves da Silva, ex-subsecretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro.
Em 2003, 35 estados dos EUA facilitaram o porte de arma, e as taxas de crime violento e homicídio declinaram. Na Inglaterra, após as armas de mão serem banidas nos anos 90, a taxa de assassinatos subiu 50%.
É o óbvio uma vez mais comprovado: bandido armado + população desarmada = crescimento da criminalidade.

Site do MEC acusado de “distorção marxista”

O Ministério da Educação mantém o site Domínio Público, que dá acesso gratuito a textos, imagens e músicas considerados clássicos da cultura. Mas, dos 166 títulos dessa biblioteca, 86 são a respeito ou de autoria de intelectuais esquerdistas. Autores de outras tendências doutrinárias não foram incluídos. Figuram pelo menos 21 textos de Karl Marx, nove do seu íntimo colaborador Friedrich Engels, quatro assinados pelos dois, e dos revolucionários comunistas Lênin e Trotsky, 12 e 15 textos respectivamente. Há uma “distorção marxista”, comentou a respeito do assunto o cientista político Fábio Wanderley Reis, da UFMG.

Líderes sem-teto extorquiam famílias pobres

Bandeira do MTST
Cinco líderes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto da Região Central (MTST-RC) de São Paulo comandavam um esquema de extorsão, ameaças e lesão corporal. Foram descobertos pelo Ministério Público Estadual e a Polícia Civil. Eles induziam famílias pobres a invadir edifícios e depois lhes extorquiam dinheiro, vendendo-lhes os apartamentos invadidos ou cobrando aluguéis. Os inadimplentes apanhavam fisicamente ou eram ameaçados de morte. O principal mandante do esquema era Hamilton Silvio de Souza, ex-candidato a vereador pelo PT e ex-assessor do vereador José Américo (PT). Eis aí um sintoma de métodos ilegais e violentos do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, que apresenta analogias com os empregados pelo MST.

Acordos Brasil-China beneficiam país comunista

O presidente Lula concedeu à China comunista o status de economia de mercado, durante a visita do presidente marxista chinês Hu Jintao ao Brasil. A China obteve assim um apoio inapreciável, em troca de promessas incertas de compra de carnes brasileiras. Conseqüência: o Brasil ficou virtualmente indefeso contra práticas desleais do comércio chinês. Para os empresários de São Paulo, a decisão deixará a “indústria paulista e a brasileira em posição de vulnerabilidade”. Segundo muitos, a grande beneficiária do negócio foi a ideologia socialo-comunista, pintada pelo lado de fora de economia de mercado.

Êxitos do combate à guerrilha colombiana, apreensões no Brasil


Na Colômbia, a firmeza contra a narcoguerrilha marxista foi bastante benéfica. Voltaram — embora não totalmente — a tranqüilidade e o otimismo. As estradas ficaram mais seguras, e já não se teme ser seqüestrado apenas por andar de carro novo. O PIB será 4% superior neste ano e no próximo; a inflação é a menor em 30 anos; o investimento privado deve crescer mais de 20% em 2004; aumentou o emprego; as exportações cresceram 16,6% e o cultivo da coca caiu 21%. Mais de 70% da população aprova o governo do presidente Uribe. Até o Banco Mundial, no relatório Fazer Negócios em 2005, apontou a Colômbia como o segundo melhor país no mundo para investimentos.
Enquanto isso, crescem as apreensões sobre os países vizinhos, inclusive o Brasil. Dois relatórios do Banco Mundial qualificaram nosso País de o pior entre 53 nações pobres e emergentes em matéria de estabilidade de regras, carga tributária, falta de financiamentos para o setor produtivo, custos trabalhistas, regulamentos excessivos e criminalidade.

Demagogia e utopismo em escala universal

Os presidentes Chirac e Lula

Na reunião de líderes mundiais pela Ação contra a fome e a pobreza, em Nova York, o presidente Lula fez um apelo contra esses males, enquanto no Brasil o Fome Zero não decola e o Bolsa-Família esbanja verbas. A mídia americana não lhe concedeu espaço.
Mais repercussão conseguiu o presidente da França, Jacques Chirac. Ele quis ser o herói da sessão, apregoando um imposto internacional contra a pobreza. De fato, a origem da idéia nem é dele, mas de ATTAC — grupo esquerdista ultra-radical de tendência anarquista.
Em Paris, a taxa Chirac, como ficou conhecida, foi considerada extravagante e demagógica. Extravagante porque um presidente que se diz de direita adotou uma bandeira da ultra-esquerda. Demagógica porque, nas condições atuais, é irrealizável. Mas já se delineia no horizonte um Leviatã de mais impostos, mais controles, mais organismos intervindo na vida dos cidadãos, tudo isso em nível mundial. Como quem pagará a conta são os cidadãos, isso resultará, no fundo, em mais empobrecimento. Tudo gerido por uma imensa e vaga estrutura burocrática, fácil presa da corrupção, que não resolverá efetivamente os problemas apontados, reais ou imaginários.

Cuba: centro latino-americano do terrorismo


O terrorismo internacional localiza em Cuba sua maior base latino-americana. Segundo o relatório Terrorismo Global 2003 do Departamento de Estado, em Washington, Cuba “segue apoiando organizações terroristas estrangeiras e dá abrigo a vários terroristas e dezenas de fugitivos”. Militantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), do Exército de Libertação Nacional colombiano (ELN) e mesmo da ETA basca (Espanha) recebem apoio e abrigo do regime castrista.
O relatório informa também que a “ameaça do terrorismo autóctone se mantém alta” na Colômbia e no Peru, e ressalta a “afinidade ideológica” do presidente venezuelano Hugo Chávez com as FARC.

OIT: inexiste escravidão infantil no Brasil

Relatórios imprecisos da Organização Internacional do Trabalho (OIT), interpretações malévolas de agências internacionais e precipitação de jornais ofereceram uma ocasião para a mídia divulgar que no Brasil haveria 559 mil crianças e adolescentes trabalhando como escravos! Segundo as mesmas versões, 10 milhões de crianças escravas encontrar-se-iam nessa situação no mundo.
Recentemente, contudo, a OIT desmentiu tais afirmações: “Nas pesquisas e rápidas sondagens feitas no Brasil, nunca identificamos casos de escravidão infantil”, comunicou oficialmente aquele organismo. Na verdade, segundo a OIT, as estimativas para o Brasil e o mundo, apresentadas de modo distorcido, referiam-se a menores de idade engajados em serviços domésticos...
Após essa indispensável retificação, não é lícito alimentar ilusão: o comuno-progressismo buscará outros pretextos para espalhar a falsa idéia de que no Brasil ainda há escravatura, e assim tentar justificar seu notório incentivo à luta de classes.

Voracidade fiscal depaupera família brasileira

O aumento dos impostos diretos que atingem a família média brasileira foi próximo de 300%, desde 1970: de 1,19% para 4,46%.
Em 1970, após cobrir todas as despesas familiares e pagar impostos e taxas, sobrava ainda 20% da renda familiar. Hoje as despesas quotidianas absorvem quase toda a renda, ela mesma já muito apertada. Em 1970, as famílias poupavam ou investiam 16,5% do que ganhavam e hoje apenas 4,76%. As tarifas que, somadas às taxas e impostos, levavam 5,27% em 70, hoje consomem 10,85%.
Todas essas cifras se referem a impostos e taxas diretos. Se fossem incluídas as contribuições indiretas, a percentagem daria um pulo assombroso. Os dados são da Pesquisa de Orçamentos Familiares realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a maior análise do gênero feita até agora.

Venezuela: difusão do miserabilismo esquerdista


Quem esteve em Caracas em décadas passadas, hoje não a reconheceria. A vida larga, a riqueza e o otimismo desapareceram. Seguindo o exemplo de Cuba, o presidente Chávez está conseguindo miserabilizar a Venezuela, que paradoxalmente é riquíssima em petróleo.
O ambiente psico-social de Caracas tornou-se sombrio. Além de manifestações pró Chaves (foto ao lado), há filas para comprar comida. As ruas e avenidas, com freqüência são interrompidas por barricadas. Nas casas dos mais ricos, geladeira, despensa, tanque de gasolina e também a carteira estão habitualmente vazios. As lojas só aceitam dinheiro vivo, e em conseqüência, como em Havana, floresce o mercado negro em dólar.

Despenalização do consumo de droga: vitória do narcotráfico

Drogas apreendidas pela polícia
Relatório da ONU atribuiu ao narcotráfico a culpa de grande parte dos 30.000 homicídios anuais que ocorrem no Brasil. Para cada assassinato, outras 20 a 40 pessoas são feridas e hospitalizadas - entre 600.000 e 1.200.000, dependendo do critério adotado. Ao lado destas cifras, a guerra do Iraque parece insignificante.

Além do mais, o narcotráfico controla cerca de 20.000 entregadores de droga, em sua maioria crianças e adolescentes entre 10 e 16 anos. Estes ficam numa dependência absoluta dos narcotraficantes que, por qualquer infidelidade, lhes tiram a vida. Nos últimos 10 anos, o consumo de maconha subiu 325%, e o de cocaína 700%. O narcotráfico é mais sinistramente rentável que qualquer outra atividade econômica, legal ou ilegal.

Apesar disso, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou projeto que acaba com a prisão para usuários e dependentes de drogas. O coronel da PM Alberto Fraga observou que tal projeto bloqueia o combate ao narcotráfico. "Muitas vezes a investigação chega ao traficante pressionando o usuário, que fica com medo e entrega. Agora, acabou. O governo apagou incêndio com gasolina", explicou Fraga.

Sintomaticamente, a esquerda católica, que diz ser defensora de toda espécie de vítimas e fracos, parece não se sensibilizar com esta avalanche de horrores e com o favorecimento do crime organizado.

Matar a galinha dos ovos de ouro

D. Tomás Balduíno, presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), disse ter pedido a Deus que ajudasse a acabar com quatro maldições: transgênicos, latifúndio, agronegócios e trabalho escravo. O deputado Lael Varella (PFL-MG) repudiou a atitude do Bispo: "Acabar com o agronegócio? O agronegócio é o setor que está movendo a economia no Brasil, é o que mais conseguiu dólares para o País, gerando milhões de empregos. Caso for eliminado, seremos obrigados a importar laticínios, carne, óleo, açúcar, álcool e outros produtos".

A absurda proposta do Prelado equivaleria a matar a galinha que bota ovos de ouro.

Líderes das FARC escondem-se no Brasil


Ricardo Palmera, o Simón Trinidad, um dos principais chefes e ideólogos da guerrilha marxista-leninista colombiana FARC, foi preso no Equador. É a primeira vez que cai nas mãos da Justiça um tão alto dirigente guerrilheiro. Ele era tido como o nº4 das FARC. Segundo o analista colombiano Alfredo Rangel, a prisão "constituiu um dos piores fatos que tenham acontecido às FARC desde a sua criação".

Palmera preparava-se para vir ao Brasil, onde participaria de uma cúpula secreta da guerrilha em Manaus. O quotidiano "El Tiempo", de Bogotá, informou que o nº2 das FARC, Raúl Reyes, há meses estaria circulando pelo Brasil. Segundo o senador Jimmy Chamorro, da Comissão de Relações Exteriores do Senado colombiano, os líderes das FARC estão fora da Colômbia, sentindo-se mais seguros em países vizinhos como o Brasil e a Venezuela.

Padre apóstata- lança o Haiti no caos

O Haiti, governado há anos por Aristide, um sacerdote apóstata, defensor fanático da Teologia da Libertação, encontra-se submerso numa verdadeira convulsão. A corrupção do governo jogou o país na violência e no caos. “Nosso povo quer que Aristide se demita, porque já não dá para suportar a injustiça que sua administração está implantando ao Haiti”, disse um membro da Hierarquia católica do Haiti, que teme ser identificado. “De fato, o governo de Aristide é uma anarquia. Cada dia verifica-se a morte de pessoas inocentes e assaltos a ônibus”, acrescentou o prelado.

Quase 2 bilhões de dólares da Argentina para Fidel


O presidente da Argentina, Kirchner, deu um calote nos particulares que investiram nos títulos da dívida pública: o novo governo argentino pretende devolver apenas 25% do valor real... e num prazo de 30 anos. Entretanto, para Cuba, que deve há décadas 1 bilhão e 900 milhões de dólares à Argentina — sem levar-se em conta a atualização dos juros —, a política empregada é diametralmente oposta. O ministro das Relações Exteriores argentino propôs perdoar 75% da dívida cubana e aceitar o restante em remédios e serviços médicos. Serviços e remédios sabidamente não confiáveis.

O ministro platino estabeleceu um pré-acordo em Havana com o presidente do Banco Central de Cuba, Francisco Soberón, e o chanceler da ilha-prisão, Felipe Pérez Roque, durante uma visita em que reatou as relações diplomáticas com o regime castrista. Recorda-se que Fidel havia qualificado algum tempo atrás o governo argentino como “lambe-botas dos ianques”.

A notícia causou espanto na opinião pública argentina, que vê o novo governo aplicar uma política socializante, sob pretexto de crise econômica, enquanto presenteia com quase 2 bilhões de dólares um regime marxista — o mais sanguinário do Continente.

Depois a Argentina iria precisar dos bilhões de Chávez para conseguir vender seus próprios bonus!!!