domingo, 29 de julho de 2007

Quase 2 bilhões de dólares da Argentina para Fidel


O presidente da Argentina, Kirchner, deu um calote nos particulares que investiram nos títulos da dívida pública: o novo governo argentino pretende devolver apenas 25% do valor real... e num prazo de 30 anos. Entretanto, para Cuba, que deve há décadas 1 bilhão e 900 milhões de dólares à Argentina — sem levar-se em conta a atualização dos juros —, a política empregada é diametralmente oposta. O ministro das Relações Exteriores argentino propôs perdoar 75% da dívida cubana e aceitar o restante em remédios e serviços médicos. Serviços e remédios sabidamente não confiáveis.

O ministro platino estabeleceu um pré-acordo em Havana com o presidente do Banco Central de Cuba, Francisco Soberón, e o chanceler da ilha-prisão, Felipe Pérez Roque, durante uma visita em que reatou as relações diplomáticas com o regime castrista. Recorda-se que Fidel havia qualificado algum tempo atrás o governo argentino como “lambe-botas dos ianques”.

A notícia causou espanto na opinião pública argentina, que vê o novo governo aplicar uma política socializante, sob pretexto de crise econômica, enquanto presenteia com quase 2 bilhões de dólares um regime marxista — o mais sanguinário do Continente.

Depois a Argentina iria precisar dos bilhões de Chávez para conseguir vender seus próprios bonus!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.