segunda-feira, 30 de julho de 2007

Perseguição comunista segue inflexível em Cuba

A perseguição comunista ao catolicismo não amainou em Cuba, apesar da política de distensão da Santa Sé com o regime castrista. Recentemente o bispo de Pinar del Río, Mons. José Siro González Bacallao, revelou que a Biblioteca Diocesana foi expulsa do seu local, e que agora, mais de um ano depois “daquele infame e inaudito despejo, [...] os livros estão dispersos em várias casas de fiéis”. O governo confiscou primeiro a escola católica que acolhia a biblioteca, depois abriu buracos no teto para a água filtrar e estragar os livros. Por fim, maldosamente, sob pretexto de reparos, obrigou-a a abandonar o local, segundo declarou o prelado à revista cubana “Vitral”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.